Peregrinação a Moscovo: domingo 24 de Abril

Os nossos peregrinos dormiram pouco esta noite! Depois de terem participado na celebração ortodoxa da noite de Páscoa, levantaram-se esta manhã para ir à missa na igreja católica de São Luís dos Franceses, presidida por D. Pezzi, ou para ir à celebração na igreja anglicana, que acolheu calorosamente os peregrinos de diferentes origens protestantes. Desta forma, todos puderam comungar neste dia de Páscoa.

Depois, fomos todos à catedral de Cristo Salvador, para as Vésperas Solenes com o Patriarca Cirilo. Durante a celebração, o Patriarca recebe tradicionalmente as saudações pascais do bispo e dos padres da diocese de Moscovo. Construída em 1860, destruída por Estaline em 1931 e inteiramente reconstruída em 2000, a catedral é verdadeiramente um símbolo do renascimento da Igreja Russa.

JPEG - 20.2 kb

A catedral estava completamente cheia. Os padres entraram primeiro, depois os bispos seguidos pelo Patriarca. Grupos corais magníficos cantaram os hinos de Páscoa, aos quais a assembleia se juntava com muito fervor. As vésperas de Páscoa são curtas, mas a alegria transbordante ainda está muito presente com a leitura do Evangelho de São João onde Cristo ressuscitado encontra Tomé. O Patriarca fez uma predicação sobre este tema: mesmo se não podemos ver o Senhor fisicamente, podemos pressentir a sua presença na oração e na vida comunitária.

O Patriarca dirigiu-se depois aos padres, falando sobre o seu dever de encarnar esta presença dando uma especial atenção aos jovens da nova geração. A experiência de vida que eles têm é muito diferente da dos padres; eles nunca conheceram a vida numa sociedade que tinha suprimido a fé.

«Devemos ajudar os jovens a ver e a compreender a perspectiva espiritual da vida, devemos ajudá-los a sentir a beleza e o poder da fé que pode mudar a vida às pessoas. A geração jovem deve saber que a Igreja não consiste apenas em bonitas cerimónias nem numa aparência brilhante. A Igreja é uma comunidade de pessoas salvas por Deus, é o local onde podemos entrar em contacto com Deus e encontrar em Deus uma grande força para vivermos segundo a sua verdade.»

JPEG - 20.8 kb
Em Moscovo, com o Patriarca Kirll, Páscoa de 2011.

Depois, os irmãos saudaram o Patriarca em nome dos jovens. Ele recebeu os irmãos calorosamente e expressou a sua alegria pela presença dos 240 peregrinos.

De seguida, os irmãos e os jovens reuniram-se na escadaria da catedral. Os rostos estavam muito sorridentes e os corações cheios de gratidão. O irmão Alois encorajou os jovens a dar ouvidos às palavras do Patriarca, empenhando-se nas suas respectivas paróquias.

A experiência de partilha destes dias com as paróquias ortodoxas reanimou a fé dos participantes para continuarem a peregrinação.

JPEG - 23.4 kb

Um pouco mais tarde, uma senhora de uma das paróquias que não conhecíamos chamou-nos para agradecer o facto de ter podido acolher uma jovem de Hamburgo em sua casa. Disse ter sido uma verdadeira bênção. Estes dias foram mutuamente enriquecedores e a nossa peregrinação não terminou, mas vai passar à etapa seguinte.

Segunda-feira 25 de Abril

Os nossos peregrinos partiram. Podemos agradecer-lhes por terem entrado plenamente no espírito da peregrinação. Respeitando a tradição ortodoxa das paróquias de acolhimento, eles conquistaram o respeito dos paroquianos. Estes compreenderam que os jovens não tinham vindo simplesmente para observar, mas para rezar, procurar e aprender. Os peregrinos chegam sempre com as mãos vazias, para receber o que Deus lhes quer dar. E, sem qualquer sombra de dúvidas, as mãos dos nossos peregrinos encheram-se nos últimos dias.

A presença dos jovens peregrinos em Moscovo também deixou marcas no coração dos que os acolheram e na vida das paróquias, onde eles participaram nas belas celebrações da Semana Santa e da Páscoa da Igreja Ortodoxa Russa.

Printed from: http://www.taize.fr/pt_article12353.html - 24 June 2019
Copyright © 2019 - Ateliers et Presses de Taizé, Taizé Community, 71250 France